Os problemas emocionais dos funcionários são seus sim!

Os problemas emocionais dos funcionários são seus sim!

“Ser adulto é trabalhar”, me disse um ex-gestor ainda quando eu estava no meu primeiro emprego e queria desistir daquilo. A vida adulta é carregada de responsabilidades, de tarefas e de uma pressão assustadoramente invisível.

A proporção em que o tempo passar e a vida for ficando mais complexa, mais tempo gastamos no trabalho. É por isso que a experiência no local de trabalho é um dos fatores que mais determinam nosso bem-estar de modo geral.

Empregadores e gestores que insistem em adotar iniciativas que não levem em consideração à saúde mental dos seus funcionários, terão que lidar não só com prejuízos financeiros cada vez maiores, mas com equipes desmotivadas, com falta de engajamento e com a ausência do senso de pertencimento.

A promoção da saúde mental no local de trabalho já não é apenas um detalhe a mais, mas é ela a responsável por apoiar a ideia de objetivo comum entre funcionários e empresas.

Em um mundo onde os transtornos mentais vêm ganhando espaço, não apenas sua capacidade de ter uma produtividade eficiente, mas também a saúde de seus funcionários como um todo deve ser levada em conta.

Olhando o tamanho do problema

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, quando um sujeito está inserido num ambiente de trabalho negativo, ele tem altas chances de adquirir problemas de saúde físicos e mentais.

Além disso, podem  aumentar a chance de uso abusivo de drogas ou álcool que fatalmente provoca estragos na vida pessoal e profissional, promover faltas sem justificativas e perda considerável de produtividade.

Os dados apontam que globalmente, 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão, que é apontada como a principal causa de incapacidade de lidar com seus problemas sozinho e a falta de apoio.

Outros números mostram que mais de 260 milhões de pessoas vivem com transtornos de ansiedade, devido a falta de um tratamento coerente. Sem contar aquelas que vivem com ambos os transtornos.

Quando vamos falar de números, um estudo recente liderado pela OMS calculou que todos esses transtornos chegam a custar 1 trilhão de dólares à economia global a cada ano.

E o que você, que é gestor, tem a ver com isso?

Já que o problema está em toda parte e você já compreendeu o tamanho dele, quero te incentivar a ajudar os indivíduos a desenvolverem uma maneira de lidar com isso em seus locais de trabalho. Além disso, quero te mostrar que todos podem criar um impacto positivo na saúde mental dos colegas.

Como está seu ambiente de trabalho?

Bem, acredito que o primeiro passo atua no campo da conscientização. Esteja completamente ciente de como anda o seu ambiente de trabalho. Promova junto com seu time um estudo para tentar entender como ele pode ser adaptado para obter uma melhor saúde mental de todos na organização.

Ser legal não é suficiente, promova um local que seja hospedeiro.

Em quem você se inspira?

É importante demais aprender com líderes organizacionais e pessoas que agiram de maneira positiva.

Entenda como empresas do mesmo porte, mercado, mesma maturidade tem agido para melhorar ainda mais essa questão de preservar a saúde mental dos seus funcionários ou até mesmo tentar fazer o exercícios contrário de não repetir aquilo que você identifica como danoso em outras experiências.

Converse com outros gestores sobre este assunto.

Como você entende-se parte do problema?

A primeira coisa que gestores costumam fazer quando percebem que seus liderados estão em momentos difíceis é buscar soluções que sejam apenas maneiras dele próprio ou a empresa não sofrerem danos diretos.

Não trabalhe com uma comunicação que demonstre apenas interesse de um lado só. Esteja ciente de quais podem ser a soluções viáveis e como sua empresa pode ser parceira diante da dificuldade.

Além de fidelizar mais ainda membros da equipe com a sensação de ajuda, converse com sua equipe para promover uma colaboração e um esforço mútuo.

Os gestores, na maioria das vezes, levam a totalidade da culpa pela cultura prejudicial da sua empresa.

Em muitas situações, gestores não ajudam na saúde mental das equipes, mas também sabemos que existem demandas que não são comunicadas a eles. Sentar, conversar e entender as demandas pessoais da sua equipe torna-se difícil quando a maioria dos gestores estão super atarefados.

Com uma gestão mais organizada, é possível criar caminhos a fim de abrir bate-papo francos e oportunizar conversas que levam a entender as necessidades de seus liderados. Somente o caminho de organizar-se melhor e conhecer a fundo sua equipe pode ajudar os gestores a desenvolverem políticas que melhorem a saúde mental no local de trabalho.

Aprenda a gerir com responsabilidade

Não seja o chefe desorganizado e que não tem tempo para ouvir as pessoas. Aprenda a lidar melhor com o seu tempo, a abrir a cabeça para uma gestão responsável e apenas olhe para os problemas com a humanidade exigida.

Aprenda a ler sua equipe. Faça um teste gratuito no Moskit CRM, mas mais do que isso, aprenda a lidar com cada um deles. Descubra para onde ir se você ou um colega precisar de ajuda e tome medidas práticas para ajudar sua organização.